O capitão Kirk ficaria orgulhoso…

21Oct06

Cientistas fazem prova prática de “manto de invisibilidade”

O capitão Kirk ficaria orgulhoso: uma equipe de cientistas britânicos e americanos criou um manto de invisibilidade, como o que protege as naves romulanas em Jornada nas Estrelas. Ele ainda não funciona tão bem a ponto de ocultar uma nave estelar, mas já conseguiu fazer um serviço decente na hora de esconder um tubo de cobre.

No experimento, os cientistas usaram microondas para tentar localizar o tubo. Como a luz comum e o radar, as microondas são refletidas por objetos, o que os torna visíveis e faz com que projetem uma sombra. A diferença é que os seres humanos têm um sentido – a visão – para detectar a luz e as sombras da luz, enquanto que para captar microondas e radar, precisamos de necessários aparelhos.

Se você consegue esconder algo das microondas, é bem possível que consiga esconder do radar também – uma oportunidade que fascina os militares. Essa tecnologia de invisibilidade é diferente da tecnologia “stealth”. O “stealth” reduz a superfície refletora de um objeto, tornando-o difícil de rastrear. A invisibilidade simplesmente faz com que as ondas de radar – ou outras – contornem o objeto, dando a impressão de que ele não está ali.

O novo trabalho indica o caminho para uma versão aperfeiçoada que poderá ocultar pessoas e objetos da luz visível. Em teoria, adaptar o conceito para luz visível é possível, disse o projetista do sistema, David Schurig. Mas, na prática, o problema é “desafiador”, acrescenta ele.

A despeito disso, a prova prática com o cilindro vem apenas cinco meses depois de Schurig e colegas terem publicado a teoria sobre o assunto. O primeiro sucesso experimental será publicado, nesta sexta-feira, na revista Science.

“Fizemos o trabalho muito depressa… e isso levou a um manto que não é ótimo”, disse o co-autor do trabalho, David R. Smith. “Sabemos como fazer coisa muito melhor”.

Este primeiro manto funcional só opera em duas dimensões e projeta uma pequena sombra, diz Smith. O próximo passo é operar em três dimensões, e sem sombra.

O dispositivo, feito de metamateriais – misturas de metal e materiais de placas de circuito, que podem incluir cerâmicas, teflon ou fibras – canaliza as microondas ao redor do objeto, como quando a água flui ao redor de uma pedra. O sistema tem de ser projetado para comprimentos de onda específicos.

Se um manto para luz visível for criado, diz Smith, alguém olhando para o objeto coberto “veria o que está do outro lado. Isto é, o manto é, em termos ideais, transparente. Já que ainda não temos um manto perfeito… o pano de fundo seria visto, mas um pouco escurecido”.

Outras aplicações da tecnologia poderiam envolver a blindagem de sistemas sensíveis contra certos tipos de radiação – que seria desviada pelo manto, como se fosse luz – e até algum tipo de blindagem acústica, para proteger estruturas contra ondas mecânicas, como as geradas em terremotos. (AE-AP)



No Responses Yet to “O capitão Kirk ficaria orgulhoso…”

  1. Leave a Comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: