Get behind me now, anyway!

17Jun05

“You took a white orchid and turned it blue
Something better than nothing
Something better than nothing’s giving up
We all need to do something
Try to keep the truth from showing up
How dare you
How old are you now, anyway”

Image hosted by Photobucket.com

Juro que tentei não falar nem sobre o CD novo e muito menos sobre o clipe Blue Orchid, do White Stripes. Os dois – álbum e vídeo – são tão bons, mas tão, tão bons que todos os reviews que eu acabei lendo são patéticos. É o tipo de situação em que a única coisa útil que você pode fazer é encaminhar a pessoa. “Meu amigo, entre no site do White Stripes e assista ao clipe de Blue Orchid, baixe o Cd, e se mate!”

Na Rolling Stone, há cerca de três semanas, a primeira matéria sobre o disco Get Behind Me, Satan (existe nome mais perfeito do que este?), dizia o seguinte: “If you happen to be a rock band, and you don’t happen to be either of the White Stripes, it so sucks to be you right now.”

São traços de uma pessoa tão enlouquecida com o Cd que simplesmente não encontra as palavras corretas, obviamente inexistentes, para descrever o álbum e acaba expressando este desepero todo em frases completamente apaixonadas. Esta semana a revista falou da banda em mais de 15 páginas. Eu juro que eu contei. É paixão!

O mesmo aconteceu com a Bilboard. Eu li uma matéria tão sem sentido na revista, que praticamente não comentou nada do album (é impossível, vá escutar!?), simplesmente fala das técnicas de divulgação do disco que Jack escolheu (não aparecer me shows de Tv, divulgar o álbum primeiro com o tour da América Latina, tocar em lugares desconhecidos, etc…).

Não á para escolher palavras para falar cobre o CD. Tudo é muito pouco. É como quando você ama tanto a sua namorada que dizer “eu te amo,” perde o sentido,se torna pouco. Desta forma, não sou eu quem vai querer descrever o album. O clipe segue o mesmo caminho. É informação demais para três minutos de imagens.O melhor é escutar, ou assistir a Meg, com o cabelo picotado, batucando dentro de uma mansão gótica caindo aos pedaços, enquanto o Jack toca guitarra com cordas antigas de um piano estragado.

Get Behind Me, Satan é, de longe, o melhor disco do ano (até agora o título pertencia ao Beck). É como uma progressão matemática. O efeito que Hello Operator do De Stijl causou em mim foi elevado ao quadrado no ano em que eu escutei Fell In Love With A Girl e Hotel Yorba do White Blood Cells, depois elevado ao cubo quando eu ouvi Seven Nation Army e Ball And Biscuit do Elephant, o que culminou no ataque histérico que eu tive quando escutei Blue Orchid pela primeira vez.

O que é mais fodido é que estamos com os tickets comprados para ver a banda tocar ao vivo no Brooklyn, o atual bairro cool, no Keyspan Park – Coney Island (casa do Brooklyn Ciclones – ok, é um absurdo eu saber isso!). Quem abre o show é The Shins. Alguém entende o peso disso??? White Stripes escolheram The Shins para abrir o show. Fun-tástic!

Image hosted by Photobucket.com



No Responses Yet to “Get behind me now, anyway!”

  1. Leave a Comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: