Keane + Regina Spektor @ Radio City Music Hall

08Jun05

Ok. Eu estou passando mal por conta do show até agora. Imagina se ele não foi bom…

Image hosted by Photobucket.com

Estranho, estranho. Radio City vazio. O show estava sold out, mas o pessoal não veio no horário marcado para assistir Regina Spektor. Ódio. Idiotas, não tem a mínima idéia que esta é a mulher mais cool do planeta. Eu já tinha passado o dia assistindo os vídeos, e escutando as músicas. Ela entrou no palco toda tímida, doce. E quando abre a boca, com aquela voz super-forte você até assusta. Minha reação: “Caralho, eu amo essa mulher!”

O mais fantástico da Regina está implícito na atitude, no som que você escuta. Ela é tão perfeita, tem uma voz tão fodida, escreve todas as músicas e ainda toca piano, bateria e guitarra (A moça faz o show sozinha, sem banda. Quando eu a
vi no show dos Strokes ela deu um show de bateria, de deixar qualquer um de boca aberta). Com tudo isso, ela sabe que se fizesse um som ordinário seria só mais uma. Mais uma menina, de vinteepoucosanos, tentando cantar. O que ela faz? Faz o som mais original que há. E trabalha com os caras mais fodidos.

Ela grita, desafina, depois canta doce, com aquela voz perfeita. Aí ela batuca no banco do piano, toca mais um pouco, grita mais um pouco, e canta doce novamente. Um delícia. Isso tudo sem levar em consideração as letras das músicas que são cheias de significado, engraçadíssimas, ou doce e românticas. Caralho, eu amo esta mulher.

Como Regina nasceu em Moscow e veio para a cidade quando era bebê, ela tem uma cultura russa muito forte que transparece sempre, seja nas letras – que misturam russo e inglês, como na melodia. Bonequinha russa. Minha mãe me chamava assim quando eu era criança. Nos vídeo de Soviet Kitsch aparecem várias bonequinhas russas. Lindo, lindo.

A única coisa que ela não tocou no show, que me fez falta, foi US.

They made a statue of us, and put on a montain top.
They will name a city after us, and make us say it’s all our fault.
And it’s contagious, oh, oh, oh, us.

***

Image hosted by Photobucket.com

Can’t Stop Now.
I’ve got troubles of my own
Cause I’m short on time
I’m lonely
And I’m too tired to talk

Eu adoro esta música, e eu tinha certeza que eles iriam tocar no meio do show. Mas não, Tom Chaplin já entrou no palco pulando, cantando a música com um arranjo completamente diferente, e eu delirei. Tudo no show foi assim, umas surpresa.

Como foi o primeiro show do Keane em NYC (show grande, porque pequeno eles fizeram um no Mercury Lounge, no Brooklyn há cerca de um ano atrás), eles estavam muito empolgados. O pianista deles pulava na cadeira, era uma coisa louca. Tom parou várias vezes para conversar com o pessoal, foi super doce, agradeceu sem parar.

Contou as histórias (que todas as bandas devem ter), de quando veio a NY pela primeira vez e viu o neon do Radio City e nunca imaginou que iria tocar aqui e hoje estava com a casa lotada, SOLD OUT CONCERT. Deve ser demais mesmo.

Image hosted by Photobucket.com

O importante é que foi fantástico presenciar uma banda fazendo um show com um tesão tão grande que deu vontade de chorar quando eles acabaram.

Keane tocou três músicas do próximo Cd que está em produção. Quem me conhece sabe, que para eu dar palpite sobre qualquer música, qualquer banda eu preciso escutar um disco pelo menos umas cinco vezes, me acostumar com o som, para depois abrir minha boca. Com estas três músicas foi completamente diferente. Eu amoleci na hora.

São líndissimas, grava logo, eu preciso escutar mais.

Eles tocaram também Snowed Under, que é lado B, ninguém conhece então eu cantei sozinha.

I don’t know why I waste my time
Getting hung up about the things you say
When I open my eyes and it’s a lovely day
You know sometimes I feel like I’m
Getting snowed under with the things you say
When I open my eyes and it’s a lovely day

O bis foi com uma música nova lindíssima chamada Try Again, This is the Last Time e a conclusão com Bedshaped. Foi lindíssimo, o teatro branco, o pessoal pulando muito.Eu fiquei muito triste por ter subestimado a voz do Tom Chaplin, ele foi fantástico, cantou para caralho. Eu dancei tando, que acordei no dia seguinte com dor no corpo todo. Definifivamente um dos melhores shows que eu já fui.

You’ll follow me back
With the sun in your eyes
And on your own
Bedshaped
And legs of stone
You’ll knock on my door
And up we’ll go
In white light
I don’t think so
But what do I know?
What do I know?
I know
!

Image hosted by Photobucket.com



2 Responses to “Keane + Regina Spektor @ Radio City Music Hall”

  1. 1 Camia Nathana

    Banda maravilhosa é o Keane mesmo, esse ano que vai ter show deles aqui no Brasil não perco por nada. Já garanti meu ingresso na pista em BH! Keane é a melhor banda do mundo. E o Tom! Um amor de pessoa, amo esse cara.

    Já a Regina Spektor canta demaaaaaaaais. Seria um dueto e tanto com o Tom, já imaginou?! Nossa! Ela é afinadíssima, e tem muito talento! Parabéns à ela.

  2. Can’t Stop Now.
    I’ve got troubles of my own
    Cause I’m short on time
    I’m lonely
    And I’m too tired to talk

    eu amooo esta musicaa!!
    me faz chorar…


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: